Linha BRT Transolímpica atravessará 3,33 km de túneis gêmeos

Escavação do túnel no Maciço da Pedra Branca é a principal intervenção do projeto do BRT Transolímpica

 

As escavações levarão 18 meses; o método utilizado é o NATM

 

Augusto Diniz - Rio de Janeiro (RJ)

 

A terceira linha de BRT (Bus Rapid Transit) prometida pela prefeitura do Rio de Janeiro para atender a mobilidade urbana nos Jogos Olímpicos de 2016, a Transolímpica, passará por túneis gêmeos com total de 3,33 km. Trata-se da principal etapa do projeto. A primeira linha de BRT da cidade é a Transoeste, já em operação, e a segunda, a Transcarioca, está prevista para entrar em serviço antes do início da Copa do Mundo.
 

A linha BRT Transolímpica está sendo feita em duas etapas. O consórcio ViaRio (formado pelas empresas Invepar - 33,4%, CCR - 33,3%, e Odebrecht Transport - 33,3) assumiu a construção e operação durante 35 anos de um trecho de 13 km. Este trecho, chamado de ligação Barra da Tijuca-Deodoro (a partir do entrocamento da Estrada dos Bandeirantes e avenida Salvador Allende até a Avenida Brasil, cruzando os bairros de Curicica, Taquara, Jardim Sulacap e Magalhães Bastos), já está com os trabalhos em andamento. Ela terá três faixas de rolamento em cada direção, sendo duas faixas em cada direção para veículos e uma para cada sentido segregada ao BRT - a linha Transolímpica, quando começar a funcionar, terá gestão de operação por outro consórcio específico ainda a ser licitada pelo poder concedente.

 

Referente a outra etapa, a prefeitura ainda licitará a construção de 4 km em Deodoro, somente para tráfego do BRT, fazendo um prolongamento da ligação Barra da Tijuca-Deodoro. No outro extremo da ligação, na Barra da Tijuca, a prefeitura também fará licitação de um prolongamento, dessa vez de 6 km, também dedicado ao tráfego do sistema BRT.

 

Severino Garrido Jr., da Concessionária ViaRio

 

“O maior desafio da obra é a implantação dentro do prazo dos túneis e respectivas contenções dos emboques devido ao grande volume de serviços a serem executados”, afirma o engenheiro Severino Garrido Jr., gerente de Obras da Concessionária ViaRio, que também deu as explicações técnicas do andamento dos trabalhos à revista O Empreiteiro.

 

Escavações

Os túneis estão sendo executados pela Toniolo, Busnello, especialista na área e que foi contratada pelo consórcio construtor para realizar a obra.

 

O túnel na Serra do Engenho Velho possui cerca de 1.400 m e o túnel do Morro da Boiúna, cerca de 200 m - ambos pertencem ao Maciço da Pedra Branca, que integra o Parque Estadual de mesmo nome.

 

O plano previu duas explosões na rocha, por dia, em cada túnel

 

De acordo com a Toniolo, Busnello, os túneis gêmeos do Engenho Velho têm na pista direita exatos 1.397,67 m, e na pista da esquerda, 1.412,05 m. Já os túneis gêmeos da Boiúna têm na pista da direita 177 m, e da esquerda 193 m. A extensão total dos túneis é de 3.332,72 m. Os túneis possuem seção de 15,14 m de largura por 8,17 m de altura (área de 104,43 m²), onde serão implantadas em cada um três faixas de rolamento, sendo uma para circular a linha do BRT Transolímpica.

 

A escavação dos túneis está sendo executada pelo método NATM (New Austrian Tunnelling Method). As escavações subterrâneas tiveram início em novembro do ano passado e os serviços começaram pelo emboque norte em direção à Barra da Tijuca. Hoje, pouco mais de 20 m já foram executados. A ViaRio afirma que tem um prazo de 18 meses para conclusão dos túneis.

 

Os trabalhos consumirão 600 mil kg de explosivos. São duas explosões por dia em cada túnel. No total, serão escavados 350 mil m³ de rocha (material será reutilizado para adequação urbana da via).

 

Os túneis cumprirão as diretrizes de segurança da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), tais como iluminação de LED, revestimento de placas brancas, sistema à prova de apagões e prevenção contra incêndios. Eles contarão ainda com subestações de controle e segurança para monitoramento 24 horas – localizadas em cada emboque -, com gerador próprio e uma área para apoio técnico das equipes de socorro.

 

Uma outra obra importante será o mergulhão na Estrada Outeiro Santo, na Taquara, com cerca de 1 km de extensão.

 

Os trabalhos se concentram nas obras de arte, como os viadutos sobre as avenidas Brasil (à esquerda) e Marechal Fontenelle
 


Terça-Feira, 23 de Janeiro de 2015
Fonte: Padrão


Publicidade
  • nacional
  • Anuncie interna

Apoio:

Rua Paes Leme, 136 / Pinheiros - Cj. 1005 / Cep: 05424-150 / São Paulo/SP / Fone: (11) 3895-8590 / contato@tecnologiadoconcreto.com.br

A republicação e divulgação de conteúdos públicos são permitidas, desde que citados fonte, título e autor. No caso dos conteúdos restritos, não é permitida a utilização sem autorização do responsável. É totalmente livre a citação da URL do Portal (http//www.tecnologiadoconcreto.com.br) em sítios e páginas de terceiros.
© 2014 - Tecnologia do Concreto - Todos os direitos reservados.
Tendenza Tecnologia