Novo shopping tem menos pilares e mais espaço para circulação

O Parque Shopping Maia utiliza laje π (Pi), que transpõe vãos maiores com menor volume de concreto e aço; quanto a estruturas metálicas, a média alcançou 16 kg/m²

A cidade de Guarulhos, na Grande São Paulo, conta com mais um centro de compras. Inaugurado em abril, o Parque Shopping Maia tem 90 mil m² de área construída, quatro pavimentos, 175 lojas e estacionamento com 1.600 vagas. O shopping possui 22 escadas rolantes, sete elevadores, dos quais, dois panorâmicos.

Com foco no público AB, o empreendimento da General Shopping Brasil está localizado bem próximo ao Bosque Maia, principal área verde da cidade e uma das mais valorizadas regiões de Guarulhos. A abrangência do novo centro de compras atinge, além da cidade, boa parte da região metropolitana de São Paulo.

A reportagem de O Empreiteiro visitou o empreendimento em março, quando 93% dos trabalhos já estavam concluídos, nos cálculos do engenheiro de produção da Construcap, responsável pela obra, Leonardo Cruz de Miranda. Segundo ele, faltavam apenas os últimos detalhes das obras civis, iniciadas dois anos antes, na parte externa do centro de compras, o que incluía a execução dos acessos viários e da pavimentação externa.

Na parte interna, o time da Construcap e outros fornecedores terceirizados realizavam os arremates finais nos acabamentos, como a finalização do forro de gesso acartonado e aplicação do piso vibro-prensado com inserções de mármore espanhol (marrom imperial).

“No pico da obra, nosso efetivo (Construcap mais terceiros) somava 850 pessoas, em dois turnos de oito horas”, informa o engenheiro. Numa outra frente de obras, estavam os trabalhadores que já adaptavam os espaços onde seriam montadas as lojas, segundo Miranda, mobilizando mais ou menos 800 pessoas.

O projeto, assinado pela Lopes Dias Arquitetura, contemplou 1.500 t de estruturas metálicas na construção do empreendimento, o que resultou na média de 16 kg/m² no total geral da obra. Elas foram utilizadas em diversos espaços do empreendimento, entre os quais a cobertura da praça de alimentação, nas duas escadas de emergência, na estrutura dos elevadores panorâmicos e no de monta-cargas, no caixilho da fachada principal, no cinema e na estrutura auxiliar revestida de ACM da fachada, em curva, onde há um telão de 20 m x 10 m, apoiado nos pilares da fachada.

De acordo com Miranda, o uso da estrutura metálica gerou economia no custo da obra, entre 15% e 30%, porque implica menos carga nas fundações. O engenheiro conta que foram cravadas no terreno 350 estacas Franki e Strauss. Na terraplenagem, houve necessidade de movimentação de 270 mil m³ de terra. “O local da construção era um morro que precisou ser adequado ao projeto”, lembra Miranda.

 

Espaço

Para permitir corredores com extensos vãos que oferecem mais visibilidade, até mesmo dos outros pavimentos, o engenheiro conta que foi utilizada laje π (Pi), segundo ele, patenteada pelo projetista Aluizio D’Ávila. “Com isso, a relação entre carga e vão fica mais econômica e usa-se menos concreto e aço para vencer o maior vão, que é de 10 m”, ressalta.

O resultado, segundo o engenheiro, foi um maior aproveitamento do espaço, com menor número de pilares nos boxes e nas áreas de circulação do shopping, que ficou com apenas 16 deles. A utilização de claraboias centrais também deu alto índice de luminosidade natural ao longo de toda a área de circulação do Parque Maia Shopping.

Na praça de alimentação, local onde se concentra o maior número de pessoas em shopping centers, foi instalado forro acústico ranhurado com lã de vidro no entreforro. “A ideia é diminuir o ruído em 20 decibéis”, ressalta Miranda. Segundo o engenheiro, normalmente, o barulho dessa área chega a atingir até 100 decibéis — bem acima do nível de conforto dos clientes.

A obra consumiu 11.350 m³ de estrutura pré-moldada, entre pilares, vigas e lajes. Também foram utilizados 10.500 m³ de concreto e 920 t de aço.

Para obter maior velocidade na execução, a opção foi pelo uso de pré-moldado pronto. Segundo o engenheiro, a ideia inicial de produzi-los na obra foi descartada, até por conta da intensidade de chuvas, “que inviabilizariam a produção local dos pré-moldados”.

As peças foram fabricadas em Itatiba, a mais ou menos 60 km de Guarulhos, e entregues prontas no local. Toda a operação de transporte e descarga, por conta do trânsito diurno no entorno da construção do shopping, foi feita durante a noite.

 

Desafios

O engenheiro da Construcap afirma que a parte mais complexa da obra foi a logística. A obra é vertical, com poucos acessos, localizada numa das avenidas mais movimentadas da cidade, a Bartholomeu de Carlos. “Além de nos preocupar com a vizinhança, também tivemos que ficar atentos à movimentação de materiais internos”, frisou Miranda, principalmente na fase em que os lojistas já começavam a montar os seus espaços.

Para coordenar as entregas, o engenheiro conta que foi criado um fluxo separado na movimentação. “Todo o material destinado à obra passou a ser descarregado à noite; os lojistas movimentavam suas cargas durante o dia.”

O projeto prevê, ainda, integração com um condomínio residencial, que está sendo erguido ao lado do shopping. Os vizinhos poderão ter acesso direto ao centro de compras por meio de uma passagem metálica de 6 m de largura por 12 m de comprimento, localizada no piso 2.

Para abastecer o sistema de ar-condicionado, uma torre metálica, com revestimento térmico de poliuretano expandido, vai garantir 2,234 milhões de litros de água gelada. O shopping ainda vai ter uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e um ecotelhado (telhado verde).

 

 

 

Ficha Técnica - Parque Shopping Maia

- Localização: Guarulhos (SP)

- Projeto de arquitetura: Lopes dias

- Projeto da estrutura de concreto: Aluizio D’Ávila

- Projeto das instalações elétricas e hidráulicas: Soeng

- Projeto de paisagismo: Chris Roncato

- Projeto de comunicação visual: Valeria London

- Projeto de acústica: Harmonia

- Projeto de impermeabilização: Proiso

- Projeto de estrutura metálica: Solutec

- Projeto do sistema viário interno: Michel Sola

- Projeto de automação: Interativa

- Projeto de readequação do sistema viário externo: TMSG

- Projeto de estrutura metálica da fachada curva: Prometal Engenharia

- Projetos de caixilhos: QMD

- Consultor de bombeiros: Exacta

- Projeto de ar-condicionado: Teknika

- Instalações do ar-condicionado: Prodac

- Construção civil: Construcap

- Instalações elétricas e hidráulicas: Temon

- Fabricação e montagem da estrutura metálica da fachada curva: Imesul

- Projeto de luminotécnica: Theo Kondos

- Execução das estruturas metálicas: Gradmetal

- Estrutura de concreto pré-moldado: Concrebem

 





Publicidade
  • nacional
  • Anuncie interna

Apoio:

Rua Paes Leme, 136 / Pinheiros - Cj. 1005 / Cep: 05424-150 / São Paulo/SP / Fone: (11) 3895-8590 / contato@tecnologiadoconcreto.com.br

A republicação e divulgação de conteúdos públicos são permitidas, desde que citados fonte, título e autor. No caso dos conteúdos restritos, não é permitida a utilização sem autorização do responsável. É totalmente livre a citação da URL do Portal (http//www.tecnologiadoconcreto.com.br) em sítios e páginas de terceiros.
© 2014 - Tecnologia do Concreto - Todos os direitos reservados.
Tendenza Tecnologia